Edificando uma família de vencedores – parte 2

Por: Bispo Palaroni

Edificando 6BCONTINUAÇÃO

DAS TRÊS COISAS MAIS DIFÍCEIS DE FAZER NA EDIFICAÇÃO – PERDÃO

Relembrando

Semana passada falamos sobre a primeira das coisas difíceis, mas necessárias para a edificação de uma família de vencedores, que foi o amor. Hoje quero compartilhar com você sobre o perdão, entendo que está também é uma das coisas difíceis de serem feitas, principalmente no ambiente familiar onde a dor da ofensa é muito maior do que a causada por amigos, colegas e parentes distantes. Vamos tratar agora  dessa questão tão relevante para sua família.

O sal da terra – Mt 5:13

Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens.

Mais uma vez Jesus toma um elemento natural para trazer uma revelação espiritual acerca da natureza e do caráter do homem e da mulher de Deus. Na época em que Jesus viveu, o nível de importância do sal na vida daquela geração era de tão grande relevância que teríamos que dar um mergulho na historia para conhece-lo melhor. O que nos interessa mesmo hoje é conhecer suas qualidades e entender sua aplicação espiritual em diferentes situações de nossa vida, mais especialmente em nossa família.

O sal nos tempos bíblicos era símbolo de amizade, fidelidade e hospitalidade, era de grande valor para os orientais. Para essa ministração, vamos nos prender ao conhecimento de suas qualidades que é a de purificar, impedir qualquer tipo de contaminação e preservar os alimentos.

Jesus disse no sermão da montanha que os salvos são o sal da terra, eles tem o poder de purificar, impedir a contaminação e preservar sua família da contaminação e deterioração dos relacionamentos que a falta de perdão produz como; desconfiança, insegurança, incerteza, vingança, maledicências e etc …

Este texto é bem parecido com o da lâmpada, colocada no lugar mais alto da casa, agora ao referir-se ao sal, Jesus outra vez coloca em foco a casa, a família, o sal sobre a mesa, e não no lugar de extração onde “todos podem ter acesso.” Quando você começar a liberar perdão, o sal saindo do saleiro, o plano de Satanás para destruir sua família produzindo inimizades, rixas e disputas não prosperará, mas se o sal ficar no saleiro de nada serve, será pisado e descartado da mesa. O sal preserva a edificação da família de vencedores. Por que? Porque só o perdão mantém os relacionamentos familiares sólidos e descontaminados da falta de perdão.

Um dos maiores erros que cometemos

 – Há mulheres que dizem que se estivessem casadas com qualquer outro homem não teriam sido machucadas emocionalmente, feridas e maltratadas como foram no passado ou tem sido hoje pelo marido. Os homens pensam a mesma coisa sobre suas mulheres, e os filhos também acreditam que se seus pais fossem outros não não sofreriam tanto. Se você tivesse a oportunidade de escolher qualquer uma outra pessoa  para viver com ela, sendo marido ou esposa, paisanos filhos, hora ou outra ela vão machucar você.

– Um dos maiores erros é alguém crer em seu coração que há uma família perfeita, sem conflitos, insatisfações e ofensas. Nossa natureza humana reage imediatamente quando somos injustificados, rejeitados ou nossa razão é tomada, contra atacamos com a falta de perdão para ensinar o outro alguma lição. Na deveríamos dar esse tipo de resposta, Jesus nos ensinou que eventualmente teremos o desafio de perdoar alguém que nos aborreceu. Mas, quando não estamos dispostos a perdoar, o que realmente está passando bem no fundo do nosso coração? Vou dar-lhe apenas quatro respostas a esta pergunta.

1 – A falta de perdão estabelece limites

Inconscientemente, está forma de comportamento é muito comum por parte daqueles que sofrem algum tipo de agressão família. A Falta de perdão vai estabelecer um no relacionamento deixando pais e filhos, marido e mulher mais distantes uns dos outros. Em pouco tempo o ofensor vai perceber que não tem mais o coração e a vida do marido, da mulher, do pai, da mande e dos filhos. Se machucada por por questões financeiras por exemplo, a pessoa não vai se envolver mais nesta área familiar. Se a questão surgiu de conflitos na criação dos filhos, a parte maltrata ficara a uma certa distancia para que a mesma situação não se repita.

2 – A falta de perdão castiga o ofensor

A dor sentida pela alma decorrente de uma traição, rebeldia e deslealdade ou descoberta de algo encoberto por um bom tempo pela mentira, pode alcançar a níveis tão elevados, que a falta de perdão torna-se castigo. “Está bem, você me fez sofrer tanto com isso, que nunca vou te perdoar, é pra você saber o quanto dói”.

3 – Apegar-se à uma falta para justificar sua falha

Eu creio ser este um dos principais caminhos de fuga para a indisposição criada no coração para não perdoar o outro. Todas as vezes que erramos ou falhamos porque não somos perfeitos, porém estás falhas não acontecem com certa frequência, quando somos confrontados, imediatamente tiramos uma das cartas escondidas na manga, uma falta daquela pessoa, e jogamos na cara dela. “Lembra do que você também fez? Eu errei, mas você não tem o direito de de me cobrar nada.”

4 – Preso a um desejo de que o passado fosse diferente

Eu creio que todo homem e mulher no passado tiveram muitas de suas expectativas e sonhos frustrados nos primeiros anos de casamento, marcas que ficaram pelos maus tratos que receberam e pelas falhas que não esperavam da pessoa a quem haviam entregado sua vida e seu futuro. Este homem e está mulher estão cansados e desgastado, vivem presos ao desejo de que o passado não tivesse sido do jeito que foi, ficam sonhando como tudo poderia ser bem diferente hoje sí… Mas quem pode voltar ao passado e mudá-lo? Nenhuma pessoa pode fazê-lo, nem mesmo Deus.

Há algum beneficio em reter o perdão?

Estas situações que compartilhei com você mostra que reter o perdão é mais fácil do que perdoar, porém os caminhos fáceis quase sempre tornam as coisas difíceis. Quando escolhemos não perdoar, que beneficio há nisso? Reter operado não produz nenhum beneficio, a bem da verdade produz enormes efeitos negativos, capaz de transtornar por completo nossa vida. Se houvesse algum tipo de recompensa em reter o perdão, Jesus não pediria para que o fizéssemos.

Perdoar seu marido, sua esposa, seus pais e seus filhos faz parte da edificação de uma família de vencedores. A lâmpada que Deus ascendeu em sua casa está apagada, sufocada pelas ofensas? Perdeu o gosto por sua família? Comece hoje uma nova temporada em sua família, não retenha o perdão, ele é a graça de Deus, seu marido e seus filhos não merecem,  seus pais não merecem, sua mulher e seus filhos não merecem, mas sua família precisa para por fim às divisões e separação.

Tenha paz com todos – Rm 12:17-18

Não torneis a ninguém mal por mal; esforçai-vos por fazer o bem perante todos os homens; se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens;

Devemos vencer o mal. Uma coisa é odiar o mal e outra recusar-se a revidá-lo; melhor ainda é vencê-lo ou derrotá-lo. Devemos desejar sempre o bem às pessoas, abençoando-as, e fazer o bem a elas, servindo-as. As maldições devem ser substituídas pelas bênçãos, a malícia pela oração, e a vin­gança pelo serviço. Isto causa um profundo sentimento de vergonha, não a fim de ferir ou humilhar o seu ofensor, mas de levá-lo ao arrepen­dimento, é assim que mantemos a paz com todos.

Ter paz com todos é uma questão de maturidade

Guardar uma ofensa é muito perigoso, impedi o avanço e o crescimento de qualquer pessoa, porque ela vive controlada pela mesma natureza do pecado fazendo o mesmo que fazia antes de ser salvo. Quem está em Cristo não ofende-se com facilidade ou permanece ofendido, somente aqueles que não cresceram que ainda pensam, falam e agem como meninos quando são ofendidos. Se não amadurecemos e tratamos as ofensas como a Bíblia diz, perdoando, pagaremos todos os preços de viver com um coração ofendido.

Conclusão – Col 4:6

A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para saberdes como deveis responder a cada um.

Nos ofendemos ou somos ofendidos pelas palavras ou comportamentos. Uma outra característica de sal é que ele tempera os alimentos e aguça o seu sabor, parece que os alimentos só são o que são por causa do sal. O apóstolo Paulo nos instruiu quanto ao cuidado que devemos ter com o que falamos, que nossas palavras, mesmo sendo de confronto devem ser agradáveis, temperadas com sal. Nossa família deve criar gosto pelas nossas palavras, que mesmo sinceras e verdadeiras, apesar de duras as vezes, vai levá-la a cair em si e se arrepender de seus atos e suas falas

2018-06-15T16:40:41+00:00

Sobre o Autor:

Aprendiz e seguidor de Cristo, teologia, marketing, administração, já estudei agora estudo direito. Sou marido, pai, filho, me adotaram como avô e pastor. O que mais amo na minha vida é falar da graça e do amor de Cristo. Dizer a todos que só Cristo nos dá a vida eterna.