7 Domingos no monte com Jesus – Parte 5

  • 7 domingos no monte - parte 5

Baixe essa lição aqui

 

No Monte – P5

 Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus Mt 5:8

 Eu creio que está declaração de Jesus é uma das mais importantes, profundas e grandiosas passagens que encontramos em toda Bíblia. Do começo da existência humana até o seu fim, Deus trata com o coração do homem, como deve ser seu coração, um coração puro, separado exclusivamente para servir à Sua vontade em todos os aspectos de sua vida moral, espiritual, econômica e emocional. A santidade, pureza de coração, é o centro de uma vida espiritual sobrenatural.

 

Quantos corações temos?

Quando tratamos do homem natural, fisico, temos um coração, órgão vital, o mais importante de nosso corpo, capaz de bombear milhares de litros se sangue diariamente levando vida a todos os membros do corpo. Porém, quando a Bíblia, na maioria das vezes refere-se ao coração, não está considerando este órgão fisico, mas o homem interior, o estado desse homem interior é vital à sua vida espiritual e moral. O coração, como é chamado o homem interior, é a fonte dos pensamentos, desejos e paixões.

 

A condição dos judeus nos dias de Jesus

No sermão da montanha, Jesus está ajustando o coração dos seus discípulos à vontade de perfeita de Deus. Por que? Isto é muito importante! A situação política, econômica e social daquela geração era muito complicada, difícil, viviam por anos sob a opressão dos romanos que os havia conquistado, exerciam forte governo com liberdade restrita e saqueavam os cidadãos com os altos impostos recolhidos, estes não eram seus grandes problemas, porém o problema menos óbvio era o pior. Eles não reconheciam que seus problemas eram causados pela sua debilidade espiritual. O que era o óbvio eles não enxergavam.

Para eles, a solução que aguardavam com enorme expectativa, era a chegada do Messias, seu rei celestial, para resolver problemas políticos e econômicos em que a nação estava afundada. Mas Jesus veio com um único propósito, resolver o problema de impureza, de misturas que havia em seus corações.

Os grupos religiosos criaram muitas leis querendo agradar a Deus, foram tantas que eles mesmos mais tarde concluíram que seria impossível cumprir todas elas, era um sistema religioso muito confuso, que principalmente os fariseus faziam uso dele, seu foco era o aspecto externo de sua religião, por causa disso, Jesus pegou pesado com eles o tempo todo, o menos óbvio era o pior, um coração separado para Deus, limpo, um interior puro, sem mistura e contaminação. Eram limpos por fora e impuros por dentro.

 

Deus busca o interior e não o exterior

Aqui está uma questão bastante polêmica na Igreja de Cristo, alguns exaltam a santidade do coração e outros a santidade baseada no exterior do corpo. A Bíblia diz que não devemos mais servir ao pecado com os membros de nosso corpo, mas só a Deus, aqueles que defendem o coração, proclamam que Deus só quer o coração, e pouco importa o que fazem com o corpo. Está afirmação não sustenta essa verdade. O exterior deve estar alinhado com o interior. Vamos pegar alguns exemplos para você entender melhor essa questão que causa tantas divisões na igreja, Jesus exortou o fato de estar tudo certinho por fora e errado por dentro. Acredite, só Deus pode conhecer completamente o coração do homem.

 

1 – Aminadabe – Um dos filhos de Jessé a quem Samuel inclinou-se para ungir rei em lugar de Saul, porém o Senhor o impede dizendo que Ele não olha como nós, que vemos o exterior, mas o interior. Aquele rapaz deveria ter aspecto de rei, agilidade com a espada e forte espirito de liderança, mas seu coração estava estragado, era presunçoso. Isto fica claro no dia em que Davi vai ao campo de guerra, a mando de pai, para saber como estavam  seus irmãos na luta contra os filisteus, Aminadabe encontra Davi e diz: o que veio fazer aqui, com quem deixou aquelas poucas ovelhas? Davi foi o escolhido para substituir Saul, por que? Porque seus coração era como o coração de Deus, puro.

 

2 – Ananias e Safira – Estes irmãos comprometeram-se com o Senhor em ofertar todo o valor da venda de um imóvel aos pés dos apóstolos, porém a quantia que receberam corrompeu a pureza de seus corações, e eles retiveram parte do valor. No culto em que morreram, Deus buscou o coração, o interior, e não não o exterior, que era o dinheiro que estava em suas mãos.

 

3 – Finalmente os fariseus – Os fariseus oravam alto nas praças, não lavavam o rosto e não tomavam banho quando estavam jejuando, dizimavam até das pequenas hortaliças, mas não eram vistos pelo Senhor, só pelos homens. Um coração contaminado pelo orgulho, envaidecido e cheio de maldades dominava suas vidas. Outra vez te digo, Acredite, só Deus pode conhecer completamente o coração do homem.

 

A divergência da bem aventurança

Jesus divergia completamente dos fariseus, interior do homem versus exterior, suas colocações deixaram sua posição firme e clara diante de seus ouvintes, e ali no no sermão do monte, ele trouxe aos discípulos o entendimento coreto de uma relação espiritual com Deus que produz bem estar.

O entendimento que Jesus trás à mente dos discípulos que vieram do ensino e das tradições judaicas, é de que a verdade sobre qualquer pessoa não está no que ela faz, a verdade sobre cada um de nós está oculta em nosso coração, no que desejamos. Todo pecado antes de tornar-se realidade e de nos conduzir a caminhos maus, já foi consumado no nosso interior.

 

O coração é a fonte de tudo que fazemos – Pv 4:4

então, ele me ensinava e me dizia: Retenha o teu coração as minhas palavras; guarda os meus mandamentos e vive;

A prática física de um pecado sexual por exemplo, já foi consumada no coração antes do ato. Entende porque Jesus disse que aquele que olha para uma mulher com intenção impura no coração já adulterou com ela? Por que? Porque seu coração está contaminado pela cobiça, por um desejo impuro à vontade de Deus. Se o coração não for purificado de um desejo impuro, você vai consumá-lo.

 

Os rituais não purificam o interior – Mt 15:11-18 e 20

o é o que entra pela boca o que contamina o homem, mas o que sai da boca, isto, sim, contamina o homem. Então, aproximando-se dele os discípulos, disseram: Sabes que os fariseus, ouvindo a tua palavra, se escandalizaram? Ele, porém, respondeu: Toda planta que meu Pai celestial não plantou será arrancada. Deixai-os; são cegos, guias de cegos. Ora, se um cego guiar outro cego, cairão ambos no barranco. Então, lhe disse Pedro: Explica-nos a parábola. Jesus, porém, disse: Também vós não entendeis ainda? Não compreendeis que tudo o que entra pela boca desce para o ventre e, depois, é lançado em lugar escuso? Mas o que sai da boca vem do coração, e é isso que contamina o homem. Porque do coração procedem maus desígnios, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos, blasfêmias. São estas as coisas que contaminam o homem; mas o comer sem lavar as mãos não o contamina.

A impureza vem do que habita no coração, o homem torna-se impuro e corrupto pelo que ele decide e deseja em seu coração. Os rituais e as tradições que guardamos muitas vezes é para ocultar nosso verdadeiro eu, e trazer um senso de perdão, mas não nos faz bem aventurados.

 

A doença do coração de Pedra – Sal 86:11

Ensina-me, SENHOR, o teu caminho, e andarei na tua verdade; dispõe-me o coração para só temer o teu nome.

Os rituais e tradições endurecem o coração, a Palavra de Deus e o Espirito Santo não conseguem ter acesso a um coração duro. Você pode até estar fazendo o que é certo, mas com um coração corrompido por maus desejos, vontades e paixões. O homem bem aventurado, aquele que experimenta a felicidade, reconhece a verdade sobre si mesmo, e busca um coração unificado com o do Senhor.

 

Limpos de coração. O que significa?

A palavra original usada e traduzida para limpo é KATHANES, sem mistura ou livre de qualquer mistura. Significa ter um coração, nossa parte mais interior, livre de qualquer mistura com o que falso, odiar o que Deus odeia, e amar o que Deus ama. Significa ter um coração separado para viver a vontade exclusiva de Deus.

 

Só os puros de coração verão a Deus

Temos a promessa de uma benção, bem aventurado; temos definida a prática e a conduta para sermos abençoados, ser puro de coração; e a benção com seremos abençoados, veremos a Deus.

 

Não havia um outro lugar para Jesus colocar essa bem aventurança em no sermão do monte, ela está bem no meio, é a quinta de oito bem aventuranças, não está no começo como base e nem no fim como glória. Por que? Ela é o centro de uma vida abençoada. Santidade é o centro da vontade de Deus desde a criação do homem. O apostolo Paulo diz que sem santificação ninguém verá a Deus. Aqui estava o óbvio dos problemas do fariseu, e os nosso também. Achamos que todos os problemas econômicos, físicos, emocionais, espirituais e morais vão ter um fim quando Jesus resolver dar um jeito no diabo para nós, como os judeus esperam o Messias para fazer com os romanos. Mas, não é assim, Jesus veio primeiro resolver o problema do nosso coração, quanto aos demônios ele já deu um jeito neles na cruz, agora é com o que está em seu interior corrompendo a verdade, e impendindo de viver sob sua glória, poder e unção.

 

Um alerta

Não confunda um coração puro, sem mistura, separado para o uso exclusivo da vontade de Deus, com um coração imune ao pecado, é pura ilusão e frustração. O puro é o que deseja ser purificado constantemente, ao menor sinal de desejo de corrupção da pureza,  ele já está se purificando no sangue de Jesus.

 

O que Jesus não disse sobre os fariseus – Mt 23:23

Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas!

Jesus não disse que os fariseus deveriam deixar de externar sua devoção a Deus: como orar, dizimar e jejuar, o problema é que eles haviam esquecido do mais importante: descuidaram da justiça, da misericórdia e da fé.

 

Conclusão – Tg 1:7-8

Não suponha esse homem que alcançará do Senhor alguma coisa; homem de ânimo dobre, inconstante em todos os seus caminhos.

Uma das grandes pragas na igreja é o ânimo dobre, queremos servir ao Senhor e ao mundo ao mesmo tempo, no sermão da montanha, Jesus deixou bem claro que isto não é possível. Precisamos ter um só animo, um desejo profundo e desesperado por Deus como o salmista que disse: Asim como o servo brama pelas águas, minha alma suspira por ti oh Deus vivo.

 

 

2018-07-17T11:35:28+00:00

Sobre o Autor:

Aprendiz e seguidor de Cristo, teologia, marketing, administração, já estudei agora estudo direito. Sou marido, pai, filho, me adotaram como avô e pastor. O que mais amo na minha vida é falar da graça e do amor de Cristo. Dizer a todos que só Cristo nos dá a vida eterna.